MENU

23/04/2021 às 09h21min - Atualizada em 23/04/2021 às 09h21min

Canadá suspende voos vindos de Índia e Paquistão por 30 dias em meio a aumento de infecções Covid-19

De acordo com o Ministro dos Transportes, Omar Alghabra, a suspensão é de 30 dias

Redação North News
com informações do The Canadian Press
Foto: Frank Gunn/The Canadian Press
 
O governo do Canadá suspendeu, a partir dessa quinta-feira, a chegada de todos os voos de passageiros e comerciais vindos da Índia e do Paquistão, devido ao aumento de novos casos de Covid-19 em ambos os países.

De acordo com o Ministro dos Transportes, Omar Alghabra, a suspensão é de 30 dias.

“Os voos de carga serão permitidos para garantir a continuidade do fornecimento de vacinas, EPIs e outros bens essenciais. Esta é uma medida temporária enquanto avaliamos a evolução da situação e determinamos as medidas apropriadas no futuro”, afirmou Alghabra.

Para desencorajar as pessoas a contornar a proibição de voos reservando voos através de outros países, o Canadá exigirá que os passageiros em trânsito por um terceiro país passem pela alfândega naquele país e permaneçam lá até que obtenham outro teste Covid-19 negativo. Só então eles podem embarcar em seu voo para o Canadá e, além disso, deverão entrar em quarentena assim que chegarem ao Canadá.

 
“Essas são as medidas que são realmente eficazes não apenas para eliminar os voos diretos e o risco que podem representar de países com pontos quentes, mas também para tomar as medidas necessárias para garantir que não permitamos que as pessoas usem voos de conexão”, disse Ministro da Segurança Pública, Bill Blair.

As regras se aplicam a cidadãos canadenses e estrangeiros.

Todos os passageiros que chegam ao Canadá por via terrestre ou aérea de qualquer país devem apresentar um teste Covid-19 negativo e ficar em quarentena por duas semanas, com algumas exceções para trabalhadores essenciais. Os passageiros aéreos devem ficar em quarentena nos primeiros três dias em um hotel aprovado, aguardando o resultado do teste Covid-19, e devem fazer o teste novamente 10 dias após a chegada.

Cerca de 300 pessoas foram multadas em $3.000 cada por se recusarem a entrar em quarentena em um hotel aprovado na chegada.

A Health Canada disse que cerca de 1% de todos os passageiros em quarentena de hotéis testou positivo para Covid-19.

A ministra da Saúde, Patty Hajdu, disse que metade das pessoas com teste positivo para Covid-19 depois de chegar ao Canadá em um avião veio da Índia, embora os voos indianos representem apenas um quinto do tráfego aéreo.

Ela disse que os passageiros vindos do Paquistão também apresentam resultados positivos em taxas mais altas do que a média.

Dados da Health Canada mostram que 112 voos que aterrissaram no Canadá desde 7 de abril transportaram pelo menos um passageiro que posteriormente testou positivo para Covid-19, incluindo 32 de Delhi e dois de Lahore, Paquistão.

Também houve 10 voos da França, 20 de várias cidades nos Estados Unidos e 10 dos Emirados Árabes Unidos.

A Índia está vendo o maior aumento de Covid-19 até o momento, com mais de 314.000 novos casos relatados nessa quinta-feira, o maior total de um dia de todos os tempos. O governo do Paquistão alertou esta semana que grandes cidades podem ser fechadas se os casos de Covid-19 continuarem crescendo.

O Canadá se junta a vários outros governos para restringir as viagens da Índia. O Paquistão proibiu a entrada da Índia por duas semanas, Hong Kong proibiu a chegada de voos da Índia por duas semanas e a Nova Zelândia chegou ao ponto de impedir a entrada de qualquer pessoa que já esteve na Índia, incluindo cidadãos neozelandeses.

A Nova Zelândia fez isso em 11 de abril, depois que 17 pessoas que chegaram da Índia testaram positivo para Covid-19.

Nesta sexta-feira, o Reino Unido deve adicionar a Índia à sua 'lista vermelha' de países dos quais os viajantes não são bem-vindos. Os cidadãos britânicos podem voltar para casa, mas devem ficar em quarentena em um hotel por 10 dias.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

87.4%
4.8%
7.8%