MENU

15/01/2021 às 09h00min - Atualizada em 15/01/2021 às 09h00min

Estudantes internacionais no Canadá frustrados com limitações de trabalho

Suspensão temporária a restrição às horas de trabalho dos estudantes internacionais expirou em 31 de agosto de 2020

Redação North News com informações do Canadian Press
Foto: @uoftengineering/Twitter
 
Pooria Behrouzy teve a honra de receber a oferta de um emprego em tempo integral como assistente de vacinação Covid-19 na Trillium Health Partners no mês passado.

O estudante internacional de informática em saúde do George Brown College já fazia parte da equipe da rede hospitalar de Mississauga. Depois de trabalhar em um projeto de TI, ele estava ansioso para contribuir com o lançamento da vacina que trouxe esperança durante a pandemia cada vez mais sombria segunda onda da pandemia.

Mas um obstáculo impediu Behrouzy de aceitar os turnos de tempo integral oferecidos: como estudante internacional, ele só pode trabalhar no máximo 20 horas por semana durante as aulas ou corre o risco de perder sua autorização de estudo e status legal no Canadá.

DECEPCIONANTE Behrouzy, que agora está trabalhando meio período no hospital, disse que é decepcionante não poder contribuir totalmente.

"Eu posso trabalhar e posso ajudar contra este Covid... por que (eu) não sou capaz de fazer isso?”, disse o iraniano, de 42 anos. “É muito triste não estar totalmente disponível.”

Seu colega Passang Yugyel Tenzin teve uma experiência semelhante.

Tenzin, um graduado de informática de saúde, de 26 anos, atualmente estuda em outro programa de TI e estava trabalhando no mesmo projeto no hospital que Behrouzy, antes de receber uma oferta para trabalhar na equipe de apoio a vacinas também.

A função não médica envolve fornecer suporte de agendamento para garantir que todas as doses disponíveis sejam administradas e outras tarefas administrativas que mantenham o processo funcionando perfeitamente.

Tenzin, que é do Butão, se inscreveu para o trabalho em regime de meio período, mas observou que o limite de 20 horas tornaria o agendamento de turnos de 12 horas um desafio.

Segundo Passang, trabalhar em tempo integral seria benéfico para sua própria educação e para o sistema de saúde que está lutando para acompanhar o aumento vertiginoso das infecções por Covid-19, vacinações e outros serviços importantes.

“Podemos aprender mais e, além disso, podemos contribuir mais para essa situação atualmente, porque eles realmente precisam de muitas pessoas”, disse Tenzin.

“Podemos contribuir muito se tivermos a oportunidade de trabalhar em tempo integral”.

SUSPENSÃO Ottawa suspendeu temporariamente a restrição às horas de trabalho dos estudantes internacionais em abril passado, dizendo que a mudança visava aliviar a escassez de pessoal na área de saúde e outros locais de trabalho essenciais.

A medida expirou em 31 de agosto de 2020 e não foi restabelecida.

O secretário de imprensa Alexander Cohen, do gabinete do ministro federal da imigração, disse que o governo está grato pelo papel que os recém-chegados desempenharam na resposta à pandemia do Canadá.

“À medida que mais alunos voltaram aos estudos regulares no outono de 2020, a restrição de horas de trabalho foi reinstaurada a pedido de províncias, territórios e instituições de ensino, devido a preocupações sobre os alunos trabalharem em tempo integral enquanto concluem a carga horária completa”, afirmou Cohen.

O estudante internacional de informática Pooria Behrouzy disse que não entende por que o limite de horas de trabalho foi restabelecido enquanto a pandemia ainda está em curso e os hospitais precisam de mais apoio do que nunca.

“Estou disponível para trabalhar e todas as escolas, universidades e faculdades estão remotas agora, então por que não estender essa exceção novamente?” ele disse. “É realmente decepcionante”.

RESTRIÇÃO Sarom Rho, que lidera a campanha Migrant Students United com a Migrant Workers Alliance for Change, disse que a pandemia é uma oportunidade para livrar-se da restrição à jornada de trabalho que os defensores há muito lutam para remover.

Rho disse que conversou com estudantes de outras áreas da saúde, como enfermagem, que também estão ansiosos para trabalhar mais, mas são prejudicados pelo limite de suas horas.

“Esse tipo de injustiça é totalmente baseado no status”, disse Rho. “O fato de serem migrantes é o que está causando a limitação e as restrições de como eles podem trabalhar, onde podem trabalhar e quando podem trabalhar, e como esse trabalho será valorizado”.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

87.5%
4.2%
8.3%