MENU

01/06/2021 às 09h42min - Atualizada em 01/06/2021 às 09h42min

Canadá autoriza mistura de vacinas contra a covid-19

A recomendação foi emitida hoje pelo National Advisory Committee on Immunization

Redação North News
O Canadá autorizou nesta terça-feira (1º) a mistura de duas vacinas diferentes contra a covid-19. A recomendação foi feita pelo National Advisory Committee on Immunization (NACI) em um processo chamado de intercambiabilidade de vacinas.

A intercambiabilidade de vacinas significa que uma pessoa pode receber um produto de vacina na primeira dose e um produto de vacina diferente para a segunda dose para completar as duas doses.

 

Dessa forma, fica definido e recomendado pelo NACI:

As pessoas que receberam a primeira dose da vacina AstraZeneca podem receber a vacina AstraZeneca ou uma vacina de mRNA (Pfizer-BioNTech ou Moderna) para a segunda dose, a menos que contra-indicado.

Pessoas que receberam a primeira dose de uma vacina de mRNA (Pfizer-BioNTech ou Moderna) devem receber a mesma vacina de mRNA para a segunda dose. Se a mesma vacina de mRNA não estiver prontamente disponível ou for desconhecida, outra vacina de mRNA pode ser considerada intercambiáveis ​​e devem ser oferecidos para completar a série vacinal.

"Este não é um conceito novo", afirmou a Public Health Agency of Canada em um comunicado. "Vacinas semelhantes de diferentes fabricantes são usadas quando o fornecimento da vacina ou os programas de saúde pública mudam."

"Os indivíduos devem considerar falar com um profissional de saúde para obter ajuda na compreensão das informações para apoiar a tomada de decisão individual informada sobre a vacinação", orientou a agência. 

A Public Health Agency of Canada garantiu que existem evidências para a intercambialidade de vacinas. Um estudo da Alemanha e um ensaio clínico do Reino Unido relatam a segurança de esquemas mistos, e um ensaio espanhol relata a segurança e as respostas imunológicas produzidas a partir de esquemas mistos de vacinas.

Outras constatações: 

A evidência atual sugere que uma primeira dose da vacina AstraZeneca seguida por uma segunda dose de vacina de mRNA (Pfizer-BioNTech foi usado nos estudos) tem um bom perfil de segurança em invervalos mais curtos (4 semanas) e mais longos (8 a 12 semanas).

Há uma possibilidade de aumento dos efeitos colaterais de curto prazo ao usar esquemas vacinais mistos de covid-19, incluindo dor de cabeça, fadiga e mal-estar geral. Isso foi especialmente observado com um curto intervalo de 4 semanas entre a primeira e a segunda dose. Esses efeitos colaterais são temporários e se resolvem sem complicações.

A taxa de VITT após a segunda dose da vacina AstraZeneca parece ser menor do que com a primeira dose, mas tem aumentado ao longo do tempo, com estimativas atuais de aproximadamente 1 por 600.000 pessoas vacinadas.

Há evidências de que fornecer uma vacina de mRNA após a vacina AstraZeneca aumentará a resposta imunológica.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

87.5%
4.2%
8.3%