MENU

07/07/2021 às 12h42min - Atualizada em 07/07/2021 às 12h42min

Assembleia das Primeiras Nações elegerá novo chefe nacional esta semana

7 candidatos disputam a posição, com Perry Bellegarde terminando seu segundo mandato

CBC News
https://www.cbc.ca/news/indigenous/afn-assembly-national-chief-election-1.6091945
(Sean Kilpatrick/The Canadian Press)

Os líderes das Primeiras Nações de todo o país estão se reunindo virtualmente esta semana para eleger um novo chefe nacional da Assembleia das Primeiras Nações.

 

A eleição está programada para ocorrer nesta quarta-feira durante a 42ª assembleia geral anual da AFN, hospedada este ano virtualmente por Six Nations of the Grand River e as Mississaugas da Credit First Nation em Ontário.

 

"Como líderes, é nossa responsabilidade definir coletivamente o caminho que leva a um futuro melhor para nossos filhos e netos", disse o chefe nacional da AFN, Perry Bellegarde, em um discurso aos delegados na terça-feira.

 

"Tive o maior privilégio de fazer parte disso com todos vocês."

 

Bellegarde, que é membro da Primeira Nação do Pequeno Urso Negro em Saskatchewan, foi eleito pela primeira vez para o cargo em 2014 e anunciou em dezembro que não buscaria a reeleição.

 

Ele recebeu uma pena de águia do ancião residente da AFN Mike Mitchell. Mitchell elogiou Bellegarde por sua defesa das línguas indígenas.

 

"Ele confiava muito em sua cultura, cerimônia e idioma", disse Mitchell.

 

"Isso nos ajudou a passar por muitas reuniões porque fortaleceu nosso espírito."

 

Sete indivíduos disputam o cargo de chefe nacional da AFN: a ex-chefe regional de Ontário, RoseAnne Archibald; Reginald Bellerose, chefe da Primeira Nação de Muskowekwan em Saskatchewan; Jodi Calahoo-Stonehouse, membro da Primeira Nação Michel em Alberta; Lee Crowchild, ex-Xakiji (chefe) da Primeira Nação Tsuut'ina em Alberta; Alvin Fiddler, grande chefe da Nishnawbe Aski Nation em Ontário; o ex-chefe regional de Manitoba Kevin Hart e Cathy Martin, vereadora da Nação Listuguj Mi'gmag em Quebec.

 

Apenas os chefes do conselho da tribo ou seus procuradores têm direito a voto. Para vencer, um candidato deve assegurar 60% dos votos.

 

Pedidos para atrasar a eleição
 

A maioria das discussões de terça-feira foi sobre uma resolução que foi apresentada para atrasar a eleição devido às preocupações expressas por chefes e líderes sobre a justiça de proceder com uma eleição online durante a pandemia.

 

"Estamos em um momento sem precedentes. Esta pandemia é algo que nunca vimos antes como pessoas das Primeiras Nações", disse Khelsilem, um membro do conselho eleito e porta-voz de Sḵwx̱wu7mesh Úxwumixw em B.C.

 

"Prevemos que haverá uma eleição federal em breve, mas aqui estamos hoje com uma parcela muito pequena dos delegados da AFN que estão aqui e que poderiam estar aqui."

 

A AFN diz que representa mais de 900.000 pessoas que vivem em 634 comunidades da Primeira Nação e em cidades e vilas em todo o país.

 

Aproximadamente 164 chefes e procuradores estiveram presentes na reunião virtual de terça-feira. Khelsilem e outros líderes citaram preocupações sobre o acesso à Internet, uma crise de incêndios florestais em B.C., bem como o trauma contínuo que muitas Primeiras Nações em todo o país estão lidando após a descoberta de restos mortais não marcados em antigos locais de escolas residenciais.

 

Os presentes votaram 62% a favor de avançar com a eleição conforme programado.

 

"Há muitos problemas com os quais temos que lidar. Estamos no meio de uma crise", disse Leroy Denny, chefe da Eskasoni First Nation na Nova Escócia.

 

“Precisamos de uma pessoa que defenda e fale pela assembleia em nível federal, para fazer lobby por essas questões. Existem muitas questões e precisamos de um líder”.
 

 

Coautoria: Viktória Matos

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

86.4%
5.2%
8.4%