MENU

16/07/2021 às 17h34min - Atualizada em 16/07/2021 às 17h34min

Ministra da Saúde de N. B. afirma que a investigação sobre a misteriosa síndrome do cérebro continua

Não se tem muitas informações disponíveis sobre a doença nem sobre os afetados

Redação North News
CTV News
CTV News

FREDERICTON - a Ministra da Saúde de New Brunswick diz que os especialistas estão trabalhando o mais rápido possível para estudar uma misteriosa doença neurológica que matou seis pessoas e infectou 48.

 

Mas Dorothy Shephard disse nesta sexta-feira (16) que não há garantia de que encontrarão respostas em vez de mais perguntas.

 

"Podemos ter sorte em obter respostas, mas nenhum de nós pode prever isso", disse Shephard em uma entrevista.

 

Shephard escreveu uma carta na quinta-feira (15) para informar as famílias de pacientes que sofrem da doença desconhecida sobre os últimos desenvolvimentos, incluindo esforços para contratar mais funcionários em tempo integral na Mind Clinic em Moncton, N.B., onde o estudo está em andamento. Uma assistente social será contratada em agosto e uma psicóloga clínica em novembro, disse ela.

 

Shephard disse que a clínica agora tem 81 pacientes registrados desde que foi inaugurada na primavera, embora apenas os 48 originais estejam sendo estudados por um comitê de especialistas. "Os primeiros 48 nos ajudarão a determinar o caminho que precisamos seguir - ou um diagnóstico potencial ou a capacidade de avançar com uma síndrome neurológica desconhecida", disse ela.

 

Os sintomas da síndrome misteriosa incluem demência de progressão rápida, espasmos musculares, atrofia e uma série de outras complicações.

 

As famílias de cada paciente estão sendo solicitadas a preencher um questionário detalhado em um esforço para encontrar possíveis causas e ligações comuns. Espera-se que sejam concluídos até o final do mês e, em seguida, o comitê de especialistas precisará de quatro meses para conduzir sua avaliação clínica. 26 das 48 pesquisas foram concluídas até hoje.

 

"Esse caminho é válido. É metódico e vai nos levar aonde precisamos ir", disse Shephard.

 

Mas Steve Ellis, cujo pai é um dos pacientes, critica o ritmo das informações que chegam da Ministra e pede ao governo que divulgue mais detalhes. "Eu quero que ela libere o número de pessoas em cada faixa etária que têm a síndrome e libere a faixa etária ou as faixas daqueles que morreram", disse Ellis em uma entrevista hoje.

 

Ellis disse que não descobriu nada de novo com a carta da Ministra, mas disse que estava feliz em ver um compromisso com as instruções públicas.” A revisão clínica está indo muito devagar, mas preencher os cargos de tempo integral na Mind Clinic vai ajudar”, acrescentou ele.

 

O Departamento de Saúde provincial diz que o primeiro caso da doença data de 2015, mas um grupo potencial de casos não foi identificado por funcionários federais até dezembro de 2020. O Sistema de Vigilância de Doenças de Creutzfeld-Jakob identificou um padrão de sintomas entre os pacientes no ano passado e então descartou a possibilidade de que a síndrome fosse uma doença priônica humana como a DCJ.

 

Muitos dos casos foram identificados na área de Moncton ou na Península Acadian, no nordeste da província, mas não há evidências concretas que sugiram que a síndrome esteja ligada à geografia.

 

Em março, um pesquisador da Agência de Saúde Pública do Canadá disse que uma causa potencial poderia ser alguma forma de exposição ambiental.

 

Shephard disse que, neste momento, o governo não tem nenhum novo detalhe sobre a causa da doença. "É importante fazer isso sem preconceitos", disse ela. "É por isso que essas pesquisas são tão importantes para nos ajudar a determinar o próximo melhor caminho."


Co-autora: Amanda Rodrigues Leal


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

86.5%
5.1%
8.3%