MENU

22/07/2021 às 10h34min - Atualizada em 22/07/2021 às 10h34min

Tory acusa os manifestantes de 'obstruir e assediar' funcionários em acampamentos de sem-teto mas também é criticado e acusado de criminalizar a pobreza

De acordo com ativista Desmond Cole a forma como Tory e a polícia estão lidando com os sem-teto só escancara a falta de tato para lidar com a população mais pobre de Toronto

Redação North News
680 News
680 NEWS/Mark Douglas

O prefeito John Tory está defendendo o desmantelamento contínuo dos acampamentos de sem-teto, dizendo que Toronto adotou uma abordagem “compassiva, mas firme”, enquanto acusa alguns manifestantes de aumentar as tensões e assediar funcionários da cidade.

 

Em uma atualização na quarta-feira (21), Tory reiterou que a qualquer pessoa despejada é oferecida moradia em local fechado, com a cidade até mesmo oferecendo às pessoas que vivenciam a situação de sem-teto visitas guiadas a possíveis espaços residenciais.

 

Mas Tory disse que os esforços para mover pessoas vulneráveis ​​para dentro destas casas estão sendo prejudicados por alguns manifestantes.

 

“Alguns funcionários da cidade… foram seguidos para casa”, alegou Tory. “Eles foram assediados em suas casas. Eles enfrentam todos os tipos de abusos verbais, do tipo que a maioria das pessoas nunca deveria tolerar em seus empregos, francamente, os manifestantes.”

 

Tory acrescentou que a grande presença de manifestantes “necessita” de uma maior presença policial para garantir a segurança - uma receita para alguns dos confrontos que levaram a prisões.

 

“Isso apenas cria um elemento que pode levar a condições nada seguras”, disse ele.

 

“Estamos tentando o nosso melhor para fazer isso de uma forma que descrevo como compassiva, mas também firme. Firme no sentido de que devemos encontrar acomodações internas mais seguras, saudáveis ​​e legais para as pessoas que precisam de mais apoio”, disse Tory.

 

A polícia de Toronto disse que nove pessoas foram presas na terça-feira (20) em um acampamento de sem-teto em Alexandra Park, na área das ruas Dundas e Bathurst, com a polícia aplicando avisos de invasão emitidos em 12 de junho.

 

A polícia voltou na quarta-feira para continuar aplicando as notificações, desta vez no Lamport Stadium Park, perto das ruas King e Dufferin.

 

Tory também acusou alguns manifestantes de espalhar informações erradas, incluindo dizer às pessoas que vivem sem-teto que os abrigos de Toronto "estão cheios de COVID", o que Tory disse "não poderia estar mais longe da verdade".

 

“Em alguns casos (funcionários da cidade) foram literalmente impedidos de falar com as pessoas que viviam desabrigadas porque os manifestantes decidiram que sabem mais do que qualquer coisa que um trabalhador do Streets to Homes possa dizer.”

 

“Não posso dizer que acho isso aceitável porque essas pessoas dão duro tentando fazer seu trabalho.”

 

O ativista e autor Desmond Cole critica abertamente a reação da polícia nos acampamentos.

 

“O plano era obviamente fingir oferecer moradia às pessoas e então... dizer que se você não sair daqui em 15 minutos, está infringindo a lei”, disse ele ao CityNews na terça-feira, 20.

 

“É apenas mais uma exibição vergonhosa da criminalização da pobreza na cidade e mais da tentativa do prefeito Tory de esconder a pobreza em vez de lidar com ela como deveria.”

 

Enquanto Tory acusava os manifestantes de obstruir o trabalho dos funcionários da cidade, ele também enfrentou acusações de que a polícia estava impedindo a mídia de cobrir adequadamente o desmantelamento dos acampamentos.

 

Jornalistas estiveram entre os presos durante as cenas tensas.

 

Tory enfatizou que ele “não tem envolvimento nas decisões” no terreno tomadas pela polícia e segurança, mas acrescentou que um sistema de pool de mídia foi implementado, permitindo que alguns jornalistas credenciados tenham acesso aos locais.


Co-autora: Amanda Rodrigues Leal


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

86.4%
5.2%
8.4%