MENU

27/08/2021 às 17h22min - Atualizada em 27/08/2021 às 17h22min

O Ministro de Cuidados de Longo Prazo de Ontário defende a política de não obrigatoriedade das vacinas

Outras instituições pressionam para a obrigatoriedade das vacinas em trabalhadores de lares de longo prazo

Redação North News
680 News
THE CANADIAN PRESS

TORONTO - O ministro de cuidados de longo prazo de Ontário está defendendo a decisão da província de não impor injeções de COVID-19 para trabalhadores em lares de idosos, já que algumas das maiores operadoras do setor introduzem políticas mais rígidas.

 

Rod Phillips diz que as diretrizes da política da província para o setor têm sido um "grande sucesso" até agora.

 

Essas regras determinam que os funcionários declarem seu estado de vacinação e exijam exames regulares para os não vacinados, que também devem fazer um curso sobre os benefícios da imunização.

 

Phillips diz que as taxas de imunização entre a equipe de cuidados de longo prazo aumentaram para mais de 90% desde que as regras entraram em vigor meses atrás.

 

Seus comentários foram feitos depois que um grupo de grandes redes de cuidados de longo prazo anunciou que funcionários não vacinados seriam colocados em licença sem vencimento se não recebessem suas vacinas até 12 de outubro.

 

Chartwell Retirement Residences, Extendicare, Responsive Group Inc., Revera Inc. e Sienna Senior Living afirmam que uma política mais forte é necessária, pois a variante Delta mais contagiosa se espalha em meio a uma quarta onda de infecções.

 

A Ontário Long-Term Care Association e outros no setor também pediram uma política provincial obrigatória para aumentar as taxas de imunização dos funcionários.

 

Phillips diz que as operadoras estão na “melhor posição” para fortalecer suas próprias políticas, acrescentando que o governo pretende ver 100% do pessoal vacinado.

 

Enquanto ele defendia a política atual, ele disse que a província buscará formas não especificadas de “inovar novamente” para aumentar as taxas.

 

“Continuaremos procurando o que precisamos fazer para garantir a segurança de nossos residentes”, disse ele a repórteres nesta sexta-feira, 27.

 

Os lares de longa permanência foram devastados por surtos e mortes durante a pandemia.

 

Em Ontário, mais de um terço das pessoas que morreram de COVID-19 eram residentes de cuidados de longa duração, com 3.793 mortos pela doença até quinta-feira (26) e milhares de infectados.

 

As infecções caíram desde o inverno, quando as imunizações começaram para residentes e funcionários de cuidados de longa duração, mas a província listou cinco surtos de COVID-19 ativos nesta sexta.

 

A província anunciou este mês que os trabalhadores em hospitais e outros locais de alto risco teriam que seguir políticas de vacinação semelhantes àqueles em cuidados de longa duração.

 

Vários hospitais anunciaram que vão ordenar totalmente as vacinas neste outono e aqueles que ainda não foram vacinados até a data limite podem estar desempregados.


Co-autora: Amanda Rodrigues Leal


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

87.5%
4.8%
7.7%