MENU

14/09/2021 às 11h52min - Atualizada em 14/09/2021 às 11h52min

Oficial médica-chefe de saúde de Alberta culpa abertura de verão por quarta onda na província

A dra. Deena Hinshaw admitiu que as autoridades provinciais de Alberta não souberam lidar com a pandemia

Redação North News
CTV News
Zoom/YouTube

A oficial médica-chefe de saúde de Alberta admitiu que a suspensão das restrições pela província no início deste verão foi a abordagem errada.

 

Em uma conversa franca com médicos das Redes de Atenção Primária realizada na segunda-feira (13), a dra. Deena Hinshaw aceitou a responsabilidade pelo fato de uma porcentagem dos habitantes de Alberta acreditar que a pandemia acabou.

 

Hinshaw começou seu discurso online na segunda à noite para as Redes de Atenção Primária, compostas por médicos de Alberta, com um humilde "Obrigada por ainda falar comigo."

 

Ela reconheceu a frustração e a raiva dos profissionais de saúde sobre a forma como o governo provincial lidou com a pandemia.

 

Com Alberta agora em uma situação de crise, com as internações em unidades de terapia intensiva chegando a 200, Hinshaw admitiu que a trajetória da quarta onda pode ser atribuída à decisão da província de suspender todas as restrições à pandemia no início de julho.

 

“Acho que se olharmos para as experiências de todas as diferentes províncias do país, aquelas que mantiveram as restrições de nível de base para gerenciar as interações e contatos próximos, são as que não estão vendo um impacto significativo”, disse Hinshaw.

 

Ela acrescenta que as províncias que removeram as restrições estão experimentando um aumento acentuado nos casos de COVID-19 e estão vendo seus sistemas de saúde atingirem níveis críticos.

 

Hinshaw também falou sobre a quarta onda, confirmando que as autoridades de saúde estão vendo a maior quantidade de transmissão na comunidade desde o início da pandemia. A gravidade da quarta onda está sendo atribuída à variante Delta. Hinshaw diz que se soubesse o quão ruim seria, o plano para remover o rastreamento de contato não teria entrado em vigor tão cedo.

 

Sobre o tema dos passaportes para vacinas, Hinshaw não deu uma resposta direta, mas fez referência aos dados da vizinha B.C., ela diz que desde seu anúncio há duas semanas, B.C. tem visto um aumento na população mais jovem sendo vacinada. Ela diz que isso mostra que exigir a vacinação para participar de atividades livres de restrições empurrou os dados demográficos com as taxas de imunização mais baixas para receber a vacina.


Co-autora: Amanda Rodrigues Leal


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

87.4%
4.8%
7.8%