MENU

18/02/2021 às 11h14min - Atualizada em 18/02/2021 às 11h14min

Homem de Mississauga assume que ajudou hackers da Coreia do Norte em ataques cibernéticos

Um dos ataques atingiu a agência de trânsito de Ontário Metrolinx

Redação North News
com informações do CP24
Foto: Damian Dovarganes/AP Photo
 
Um homem de Mississauga deve se declarar culpado de uma acusação federal de estar envolvido a um grande esforço global de três ciberespiões norte-coreanos para roubar grandes bancos e atacar empresas de mídia estrangeiras que teriam ridicularizado o regime de Kim Jong-Un.

Nessa quarta-feira, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos nomeou três hackers norte-coreanos - Jon Chang Hyok, Kim Il e Park Jin Hyok - que supostamente se envolveram em uma variedade de esquemas que incluíram o ataque cibernético de 2014 contra a Sony Pictures em retaliação ao seu tema norte-coreano filme de paródia "The Interview", estrelado por Seth Rogen e James Franco.

Além do hack do filme, os três homens, parte da unidade de inteligência militar norte-coreana conhecida como General Reconnaissance Bureau, supostamente tentaram roubar cerca de US$1,2 bilhão de grandes bancos ao redor do mundo, desenvolveram o ransomware "WannaCry 2.0" usado para infectar redes de computadores nos últimos três anos e e-mail com phishing de agências governamentais dos EUA e seus contratados.

O ataque de ransomware WannaCry atingiu até mesmo a agência de trânsito de Ontário Metrolinx. Eles também teriam vendido micro ações de uma empresa de transporte secreta que o regime norte-coreano supostamente usava para comprar e alugar navios de carga para traficar contrabando, em violação das sanções globais.

Homem de Mississauga envolvido
Durante os supostos roubos do trio de grandes bancos globais, as autoridades dos EUA dizem que um homem que identificaram como Ghaleb Alaumary, de Mississauga, ajudou os norte-coreanos a lavar seus lucros.

“Alaumary organizou equipes de co-conspiradores nos Estados Unidos e Canadá para lavar milhões de dólares obtidos por meio de operações de saque em caixas eletrônicos, incluindo do BankIslami e um banco na Índia em 2018”, anunciou o Departamento de Justiça nessa quarta-feira.

“Alaumary também conspirou com Ramon Olorunwa Abbas, também conhecido como 'Ray Hushpuppi', e outros para lavar fundos de um assalto cibernético perpetrado pela Coréia do Norte de um banco maltês em fevereiro de 2019”.

Culpado
Autoridades americanas dizem que Alaumary concordou em se declarar culpado de uma acusação de conspiração para cometer lavagem de dinheiro em conexão com os assaltos norte-coreanos. Ele também está sendo processado na Geórgia por um esquema de phishing de e-mail que visa empresas. A acusação de conspiração de lavagem de dinheiro acarreta uma pena máxima de 20 anos de prisão.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

84.3%
4.3%
11.4%