MENU

07/01/2021 às 18h52min - Atualizada em 07/01/2021 às 18h52min

ONTÁRIO Aulas presenciais no sul de Ontário permanecem suspensas pelas próximas duas semanas

Elas estavam programadas para retornar na próxima segunda-feira

Redação North News
Ebene Magazine
O governo de Doug Ford anunciou nesta quinta-feira (7) que o ensino presencial nas escolas primárias do sul de Ontário não voltarão nas próximas duas semanas. 
O anúncio vem dias depois de o ministro da Educação, Stephen Lecce, anunciar em carta aberta aos pais que as escolas primárias seriam reabertas no dia 11 de janeiro.
“Acreditamos fortemente que as escolas são essenciais para o bem-estar, a saúde mental e o desenvolvimento de uma criança e, portanto, devem ser protegidas a todo custo para garantir que possam permanecer abertas para o ensino seguro em sala de aula”, disse na carta.
As aulas presenciais devem permanecer suspensas até o dia 25 de janeiro.
“Antes do feriado de Natal, vimos taxas de positividade de 3% (entre os alunos) e agora a informação que recebi no final da tarde de ontem é que saltou 116%, deixe-me repetir esses 116%”, comentou o primeiro-ministro Doug Ford em entrevista nesta quinta-feira. “Isso só serve para mostrar a vocês o plano de educação que o ministro (da Educação) (Stephen) Lecce divulgou estava funcionando, mas assim que passamos o Natal todos se reuniram e agora quase uma em cada cinco crianças menores de 13 anos estão tendo o teste positivo", complementou.
Dados recentes apontam que a taxa de positividade entre crianças tem aumentado. Entre crianças de 4 a 11 anos ela saltou de 5,22% na semana de 29 de novembro para 15,66% durante a semana de 27 de dezembro. Entre as crianças de 12 e 13 anos o aumento é maior ainda, já que passou de 5,22% no final de novembro para quase 20% no final de dezembro.
"É por isso que estamos estendendo o período de aprendizado remoto para alunos no sul de Ontário e o período de paralisação no norte de Ontário", disse Ford.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

87.5%
4.8%
7.7%