MENU

13/04/2021 às 13h45min - Atualizada em 13/04/2021 às 13h45min

Air Canada receberá pacote de ajuda federal de $5,9 bilhões após acordo

Como parte do acordo, companhia terá que reembolsar passageiros que tiveram bilhetes cancelados por conta da pandemia

Redação North News
com informações do The Canadian Press
Foto: Ben Nelms/Reuters
 
Após meses de negociações, o governo federal chegou a um acordo com a Air Canada e permitirá que a companhia aérea tenha acesso a até $5,9 bilhões em empréstimos e financiamento do dinheiro público.

Segundo o acordo, a Air Canada deve reembolsar os passageiros cujos voos foram cancelados devido à pandemia Covid-19, limitar a compensação executiva em $1 milhão e restaurar o serviço para os portos aéreos regionais .

O pacote, que dá ao Canadá uma participação de 6% na maior linha aérea do país, também exige que a transportadora com sede em Montreal mantenha o emprego nos níveis atuais ou mais altos.

Parte de acordo é reembolsar passageiros; entenda como vai funcionar
“Os contribuintes não estão pagando a conta. Este é um empréstimo e o governo do Canadá espera totalmente o reembolso”, disse a ministra das Finanças, Chrystia Freeland.

Cerca de $1,4 bilhão desse valor é destinado a ajudar a reembolsar os milhares de clientes que pagaram pelas passagens, mas permaneceram em dificuldades no final de 2020.

“Concordamos com a Air Canada que os reembolsos devem ser emitidos o mais rápido possível, começando nas próximas semanas e meses”, disse o ministro dos Transportes, Omar Alghabra, embora a Air Canada tenha até sete anos para sacar o empréstimo a juros baixos.

Reembolsos estarão disponíveis para voos adquiridos em ou antes de 22 de março de 2020, para viagens após 1º de fevereiro do ano passado, independentemente de terem sido cancelados pelo passageiro ou pela linha aérea, disse Freeland.

As passagens compradas após 22 de março de 2020, quando o voo foi posteriormente cancelado pela companhia aérea, também serão reembolsáveis.

A Air Canada confirmou que os clientes que aceitaram crédito de voo ou pontos Aeroplan, bem como aqueles que recusaram ambos, terão direito ao reembolso.

Sindicado condena acordo
O Sindicato Canadense de Funcionários Públicos, que representa 10.000 comissários de bordo da Air Canada, condenou o negócio, dizendo que "trai o compromisso do governo de apoiar os trabalhadores das linhas aéreas afetados pela pandemia".

“Tínhamos o compromisso do governo de Trudeau de que qualquer dinheiro de ajuda para o setor de linha aérea fluiria diretamente para apoiar os trabalhadores, e esse compromisso não está refletido neste acordo”, disse o presidente do CUPE, Mark Hancock, em um comunicado.

“Este negócio é exatamente o que temíamos que um acordo feito a portas fechadas seria: está um ano atrasado, sem transparência e nem perto do suficiente para sustentar os milhares de comissários de bordo ainda se recuperando dos impactos da pandemia”.

Restrições catastróficas
As restrições de viagens introduzidas durante o início da pandemia foram catastróficas para a indústria de linhas aéreas.

O número de passageiros da Air Canada diminuiu 73% em 2020 após vários anos de crescimento recorde para a linha aérea. Durante 2020, a empresa reduziu o quadro de funcionários em mais de 20.000, mais da metade do total pré-Covid, depois cortou outros 1.700 funcionários em janeiro.

A empresa registrou um prejuízo surpreendente de $1,16 bilhão no quarto trimestre do ano passado, um resultado que fecha o que o então CEO da operadora chamou de o ano mais sombrio da história da aviação.


A empresa perdeu $4,6 bilhões em 2020, em comparação com um lucro de $1,5 bilhão no ano anterior.

E como fica a WestJet?
Freeland, questionado se o pacote poderia fornecer uma estrutura para um acordo com a WestJet, enfatizou a importância de duas companhias aéreas nacionais e caracterizou as negociações com a transportadora nº 2 com base em Calgary como "construtivas".

Ela disse que reembolso de passagens, remuneração de executivos, rotas regionais e limites de emprego seriam um fator, mas qualquer negócio seria baseado nas necessidades individuais da linha aérea em questão.

O pacote proíbe o pagamento de dividendos e recompra de ações, além de limitar a remuneração dos executivos enquanto os empréstimos terminarem,
observou Freeland.

Retorno do portos aéreos regionais
A Air Canada se comprometeu a retomar o serviço em 13 portos aéreos regionais, bem como em outros sete, por meio de “acordos interline” com transportadoras regionais.

A empresa ainda se comprometeu a completar a compra de aeronaves fabricadas na unidade de Mirabel, em Quebec, garantindo a manutenção do emprego para os trabalhadores da fábrica.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

87.7%
4.4%
7.9%