MENU

21/04/2021 às 18h47min - Atualizada em 21/04/2021 às 18h47min

Exclusivo: Cabeleireiro dos famosos e influencer conta sua experiência com a vacinação no Canadá

O renomado hair stylist recebeu o imunizante em abril

Larissa Valença
Arquivo pessoal do Jhean.

Jhean Thaywenner, cabeleireiro das celebridades, influencer e hair stylist, tomou a primeira dose da vacina da Pzifer no último dia 20 de abril em Toronto no Canadá. Ele contou com exclusividade detalhes do atendimento.

 

Aliás, a cidade de Toronto iniciou neste mês a vacinação por área de risco, chamada em inglês ‘hot spot’. Com a medida, as pessoas maiores de 18 anos, que vivem em bairros da cidade com alta incidência de Covid-19, podem se imunizar. O governo divulgou os códigos postais das vizinhanças que se enquadram nessa categoria.
 


Mais sobre o Jhean 


O profissional que atua na área da beleza há 15 anos, também, é digital hair influencer. “Estou aqui sempre para ajudar as pessoas com a sua autoestima e bem estar”, declara. 

 

Ele, que é residente canadense, possui mais de 400 mil seguidores nas redes sociais e tem no currículo estrelas brasileiras e internacionais como, Lady Gaga, Serindas Wasn do seriado coroner, Gustavo Lima, Bruna Karla, Priscilla Alcântara, Damares e Cassiane. 

Além disso, o gabaritado 
cabeleireiro e embaixador da marca Robson Peluquero, tem formações acadêmicas no Brasil, no Canadá e nos Estados Unidos, na Cosmetology Institute of Las Vegas.

 

Confira a seguir a entrevista com Jhean Thaywenner sobre a sua experiência com a vacinação no Canadá na integra:


Jornal North News: Como foi todo o processo para receber o imunizante no Canadá? 

Jhean Thaywenner: Não foi necessário agendar, somente peguei o folheto com as informações e me dirigi a fila de um ginásio próximo a um conhecido hospital de Toronto, que está localizado em uma área considerada de risco. 

Como a minha região está em `hot spot`, eles estão fazendo a vacinação em pessoas acima dos 18 anos. Eu somente fui ao local, aguardei na fila, e eles conferiram o meu código postal. 

 

Eu tive que aguardar o meu horário de atendimento. A fila estava bem grande, por sinal. 

Eles colocaram pulseiras nos nossos braços e nos encaminharam para um ginásio cheio de cadeiras. E todo mundo, com uma distância  de 2 metros, um do outro. Aproximadamente de 25 a 45 pessoas foram divididas de cada lado do local. Depois de tomar a vacina, a gente foi orientado a esperar por 15 minutos. No total, demorei 35 minutos, desde que cheguei até tomar o imunizante.


Jornal North News: Como o local que você se vacinou estava organizado? Como você avalia a sua experiência como um todo?

Jhean Thaywenner: O Local onde foi a vacinação estava muito bem sinalizado, tinham bastante profissionais da saúde, sempre com distanciamento, com um execelente atendimento e carinho a todas as pessoas. A experiência que eu tive foi nota 10, o Canadá está de parabéns em relação à vacinação. A atenção dada pelos profissionais da saúde foi excelente, também.  Não tenho nada a reclamar referente à saúde do país em relação à vacinação. Eles estão fazendo de tudo para conseguirmos nos vacinar o quanto antes. 

 

A profissional foi bem atenciosa quanto à aplicação da vacina e eu senti levemente o líquido entrando no músculo. Mas nada demais, foi algo superficial. Tem outras vacinas que ja tomei que doeram bem mais. 

 

Eu tomei o imunizante da Pfizer e vou tomar a segunda dose no dia 10 de agosto. Eles entrarão em contato conosco, pois ainda não há mais detalhes, como e onde será o atendimento.

Para a imunização, foi necessário apresentar um documento de identificação e comprovante de residência, podendo ser carteira de motorista, ou cartão de saúde daqui de Ontário, por exemplo. 



Jornal North News: Como o seu organismo reagiu a primeira dose da vacina?

Jhean Thaywenner: Tomei a vacina no dia 20 de abril no período da tarde. Entre às oito e às nove da noite, senti as mãos muito frias, muito geladas, mesmo, parecia que tinha uma barra de gelo entre elas. E um pouco suadas, senti o sangue vindo e voltando das mãos, e elas ficaram amareladas. Mas, não senti nenhuma outra reação mais séria, como tontura, ânsia de vômito, ou as vistas escuras, absolutamente nada do tipo. 

 

Dormi bem, e acordei perfeitamente bem, já são quase meio dia (21 de abril) e estou com uma execelente disposição, a mesma de antes. A única coisa que sinto, é um pouco de dor no braço, por conta da injeção, dor na musculatura. Mas, no geral, não sinto nenhum efeito mais grave.

 

O cabeleireiro disse também, ao jornal North News que vai continuar postando nos seus stories do Instagram tudo sobre a evolução da vacina e como ele estará se sentindo nos próximos dias. 
 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

87.1%
4.3%
8.6%