MENU

06/07/2021 às 11h57min - Atualizada em 06/07/2021 às 11h57min

BREAKING: Mary Simon é nomeada a primeira Governadora-Geral indígena do Canadá

A líder Inuit finalmente ocupa o cargo de Governadora-Geral após seis meses de espera

Redação North News
CTV News
THE CANADIAN PRESS/Sean Kilpatrick

OTTAWA - A líder inuit Mary Simon será a 30ª Governadora-Geral do Canadá, acaba de anunciar o Primeiro-Ministro Justin Trudeau. Ela está fazendo história como a primeira indígena deste país a assumir o cargo.

 

“O Canadá é um lugar definido por pessoas. Pessoas que servem as pessoas ao seu redor, que enfrentam grandes desafios com esperança e determinação e, acima de tudo, que nunca param de trabalhar para construir um amanhã melhor. Em outras palavras, pessoas como Mary Simon”, disse Trudeau, fazendo o anúncio no Museu Canadense de História, do outro lado do rio em Parliament Hill.

 

“Hoje, depois de 154 anos, nosso país dá um passo histórico. Não consigo pensar em uma pessoa melhor para encarar o momento”, disse ele.

 

A Rainha Elizabeth II aprovou a nomeação, por recomendação de Trudeau. Simon é atualmente a Governadora-Geral Designada do Canadá e, uma vez instalada, superará Trudeau, ao ocupar o segundo cargo federal mais alto no Canadá, depois da Rainha.

 

De Nunavik, no norte de Quebec, Simon há muito é uma defensora dos direitos e da cultura Inuit. Ela trabalhou como apresentadora de rádio e mais tarde atuou como presidente do Inuit Tapiriit Kanatami e do Comitê Nacional de Educação Inuit.

 

Ela também trabalhou ao lado do Governo Federal em vários arquivos ao longo de muitos anos, incluindo a implementação da primeira política de reivindicações de terras do Canadá e como embaixadora do Ártico. Agora, ela assumirá o papel de representante da Rainha no Canadá.

 

Embora a posição seja amplamente cerimonial, Simon também se tornará a comandante máxima das Forças Armadas canadenses e pode desempenhar um papel crucial em questões constitucionais e dentro de governos minoritários quando se trata de questões de confiança.

 

Uma oficial da Ordem do Canadá, bem como uma destinatária do Prêmio do Norte da Governadora Geral, Simon agora será responsável por conceder esses tipos de honras e medalhas de honra a outros, e será responsável por ler o discurso do trono e juramentos dos membros do gabinete que tomam posse.

 

Talvez mais notavelmente, dada a especulação galopante de que uma convocação eleitoral de verão ou outono é provável, a Governadora-Geral tem o poder de dissolver o Parlamento e redigir os mandados para uma eleição geral, a conselho do Primeiro-Ministro.


SUBSTITUINDO PAYETTE

 

O Canadá está sem um Governador-Geral oficial desde o final de janeiro, quando Julie Payette renunciou ao cargo.

 

Payette, uma ex-astronauta e engenheira, foi uma escolha controversa para Governadora-Geral desde o início, e acabou saindo em meio a relatos de que fomentava um ambiente de trabalho "tóxico". Sua saída ocorreu após uma revisão independente "prejudicial" nas alegações de assédio no local de trabalho contra ela.

 

Nesse ínterim, o presidente da Suprema Corte, Richard Wagner atuou como administrador, assumindo os poderes da função sem assumir o título oficial.

 

Hoje, Trudeau agradeceu a Wagner por sua ajuda provisória.


UMA PESQUISA DE SEIS MESES

 

A líder conservadora Erin O'Toole pediu que Trudeau consultasse outros partidos antes de nomear um substituto, dada a dinâmica do parlamento minoritário. Em vez disso, em março, o governo lançou um painel consultivo com a tarefa de ajudar a selecionar o próximo Governador-Geral.

 

Esperava-se que Trudeau recebesse a lista de candidatos em potencial até meados de junho, de acordo com o presidente do Conselho Privado da Rainha e Ministro de Assuntos Intergovernamentais, Dominic LeBlanc. Ele disse recentemente a um comitê da Câmara que o painel consultivo sediou 12 reuniões e que a lista de nomeados em potencial para Trudeau considerar era "interessante".

 

Quando o Primeiro-Ministro viajou ao Reino Unido para o G7 há duas semanas, ele conversou com a rainha Elizabeth sobre o andamento do processo de escolha de um novo Governador-Geral.

 

Embora na época em que a vaga foi criada, LeBlanc dissesse que não levaria meses para conseguir um substituto, a busca e o provável processo de verificação para escolher o próximo Governador-Geral demorou seis meses.


Co-autora: Amanda Rodrigues Leal

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

87.2%
5.2%
7.6%