MENU

13/07/2021 às 18h17min - Atualizada em 13/07/2021 às 18h17min

A sentença de prisão aumentou para 16 anos para o 'piloto das estrelas' de Quebec

Normand Dubé foi condenado por dois crimes consecutivos

Redação North News
680 News
THE CANADIAN PRESS/Ryan Remiorz

MONTREAL - Um homem de Quebec apelidado de “piloto das estrelas” foi condenado a um total de 16 anos de prisão depois que um tribunal de Quebec decidiu que ele deve cumprir duas sentenças consecutivas de prisão.

 

Em uma decisão divulgada hoje, o Tribunal de Apelação de Quebec concluiu que um juiz de primeira instância cometeu um erro ao condenar Normand Dubé, 59, a cumprir nove anos de prisão concomitantemente com uma sentença anterior de sete anos.

 

Dubé, que era conhecido por transportar celebridades de Quebec em seu avião, foi condenado a nove anos de prisão em setembro de 2019 depois de ser considerado culpado de incêndio criminoso e de fazer ameaças contra funcionários públicos entre 2011 e 2014.

 

Ele já havia sido condenado a sete anos de prisão em dezembro de 2018 por um ataque aéreo em 2014 às linhas da Hydro-Québec que custou à empresa US $ 28,6 milhões e deixou 180.000 pessoas na escuridão.

 

Em sua decisão, o painel de três juízes escreveu que Dubé deveria ter sido condenado a cumprir as duas sentenças consecutivamente porque os crimes foram separados, realizados em momentos diferentes e tiveram vítimas diferentes.

 

Embora o tribunal tenha reconhecido que a nova sentença - um total de 16 anos menos o crédito pelo tempo cumprido - foi severa, disse que permanece razoável porque os crimes de Dubé foram graves, premeditados e ele não mostrou remorso.

 

Em sua decisão, os juízes disseram que era importante denunciar os crimes de Dubé porque, por um desejo de vingança pessoal, ele tinha como alvo funcionários públicos que haviam exercido suas funções de forma imparcial e desinteressada.

 

A sentença original foi apelada pela acusação, que havia pedido uma sentença consecutiva no julgamento.

 

Dubé foi colocado na lista dos mais procurados da província em dezembro, depois que ele não se apresentou a um centro de detenção quando sua fiança foi revogada pelo Tribunal de Apelação. Ele se entregou à polícia em 3 de fevereiro.


Co-autora: Amanda Rodrigues Leal


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

86.5%
5.1%
8.3%