MENU

27/08/2021 às 11h09min - Atualizada em 27/08/2021 às 11h09min

Toronto e Região de Peel revelam políticas de vacinação obrigatória de funcionários

Unidades de saúde de Ontário estão considerando adotar certificados de vacina próprios

Redação North News
680 News
THE CANADIAN PRESS/Andrew Vaughan

Toronto e a Região de Peel anunciaram em conjunto uma política de vacinação de funcionários na quinta-feira, 26.

 

Para esta última, todos os funcionários regionais deverão apresentar comprovante de vacinação contra COVID-19 até o final de outubro. Se não o fizerem, a equipe terá que concluir uma sessão educacional sobre os benefícios de obter a vacina e, se ainda assim disserem não, devem se submeter a testes de COVID-19 regulares.

 

“Graças ao compromisso e vigilância de nossa equipe, temos sido capazes de manter a maioria dos nossos serviços durante a pandemia. Esta política tem como objetivo encorajar nossos funcionários a serem vacinados para ajudar nossa comunidade a encontrar um caminho de volta ao normal”, disse Janice Baker, CAO da Região de Peel.

 

Baker diz que detalhes adicionais sobre a política de vacinação dos funcionários e a data de ativação estarão disponíveis no final deste outono.

 

Na semana passada o prefeito de Toronto, John Tory, anunciou uma política de vacinação obrigatória para todos os funcionários da cidade. De acordo com o sistema, todos os membros do Serviço Público de Toronto devem divulgar o status de vacinação e fornecer comprovante de vacinação até 13 de setembro.

 

Como o plano da Região de Peel, os funcionários que não foram vacinados ou não divulgaram seu status de vacinação comparecerão às sessões educacionais obrigatórias.

 

“Em 30 de setembro, a equipe não vacinada deverá ter recebido e relatado sua primeira dose de vacina para uma vacina de duas doses ou ter recebido uma vacina de dose única”, escreveu a cidade em um comunicado à imprensa.

 

Até 30 de outubro, a cidade exigirá que os funcionários tenham recebido a primeira e a segunda doses da vacina COVID-19. A cidade diz que os funcionários que não cumprirem esta política podem estar sujeitos a medidas disciplinares, “até incluindo demissão”.

 

Tory diz que cumprirá com suas obrigações de direitos humanos, e os funcionários que não puderem obter uma vacina de COVID-19 sob um fundamento protegido estabelecido no Código de Direitos Humanos de Ontário terão direito a acomodação.

 

“Sabemos que as vacinas funcionam. Sabemos que elas evitam casos graves de COVID-19, e o número de casos de pessoas não vacinadas que acabam em nossos hospitais e UTIs é significativamente maior”, disse o prefeito de Toronto.

 

“Devemos proteger a saúde e a segurança de nossos funcionários, seus entes queridos e dos residentes e visitantes que atendemos. Esta é a coisa certa a fazer e vai garantir que continuemos a fazer tudo o que pudermos como governo municipal para combater o COVID-19 e acabar com esta pandemia”.

 

Diante da recusa da província em implementar um sistema de comprovação de vacinação contra o COVID-19, as unidades locais de saúde pública em Ontário estão considerando certificados de vacinas regionais.

 

O principal médico da Região de Peel disse esta semana que o ponto massivo de casos de COVID-19 está procurando opções para um sistema local de prova de vacinação se a província não desenvolver um.

 

O Dr. Lawrence Loh disse na quinta-feira, 26, que a ideia e as discussões com outras unidades de saúde sobre ela estão nos estágios iniciais e provavelmente não envolverão um novo certificado físico ou registro digital.

 

“Estamos procurando... maneiras de usar as provas existentes de vacinação”, disse ele, acrescentando que é preferência da unidade de saúde que a província desenvolva a tecnologia.

 

Ontário relatou 678 novos casos de COVID-19 na quinta-feira, com 537 das pessoas infectadas não vacinadas ou com status de vacinação desconhecido.


Co-autora: Amanda Rodrigues Leal


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

87.5%
4.8%
7.7%