MENU

15/09/2021 às 15h16min - Atualizada em 15/09/2021 às 15h16min

Toronto ocupa a 18ª posição entre as principais cidades da América do Norte voltando a trabalhar presencialmente

Apesar disso, a retomada aos serviços presenciais tem sido lenta e receosa

Redação North News
Daily Hive
Marc Bruxelle/Shutterstock

Trabalhadores em toda a América do Norte estão retornando lentamente ao escritório, mas aqui em Toronto, a taxa de retorno está abaixo de mais de uma dúzia de outras grandes cidades do continente.

 

Uma nova medida em tempo real do tráfego de pedestres no centro da cidade, criada pela Avision Young, está sendo usada para medir as taxas de retorno aos escritórios nas principais cidades da América do Norte. Chamado de Índice de Vitalidade, ele coleta dados de 23 cidades, comparando os níveis atuais de tráfego de pedestres no centro da cidade com os níveis pré-pandêmicos.

 

Toronto ficou em 18º lugar entre as 23 cidades, com o tráfego de pedestres caindo 85,8% desde a semana de 2 de março de 2020. Apenas Silicon Valley, Oakland, Miami e Ottawa ficaram em posição inferior.

 

Três outras cidades canadenses, no entanto, ficaram entre as cinco primeiras, com Calgary (-57,9%) e Edmonton (-63,3%) em segundo e terceiro lugares, e Vancouver (-67,5%) em quinto. Boston, que caiu apenas 55%, ficou em primeiro lugar na lista, e Austin (-64,3%) ficou em quarto lugar.

 

Como nenhuma cidade ainda atingiu uma diferença de menos de 50% em relação aos níveis pré-pandemia, Avision Yong diz que muitas empresas ainda estão decidindo se o retorno ao cargo é seguro.

 

“Todo mundo está procurando pela posição Goldilocks - as empresas não querem se mover muito cedo ou muito tarde”, disse Sheila Botting, presidente de Serviços Profissionais para as Américas da Avison Young. “O Índice de vitalidade é extremamente importante para as pessoas que procuram entender o que está acontecendo em tempo real e ao longo do tempo nos principais mercados. Ele mede o ritmo para que os líderes possam tomar decisões com base em informações e análises concretas.”

 

Mesmo quando os escritórios começam a reabrir, Botting diz que a forma como as pessoas trabalham provavelmente será diferente de antes da pandemia.

 

“Um modelo não serve para todos”, observa Botting. “Cada organização é diferente. Cada funcionário é diferente. E quando você juntar tudo, precisaremos de ambientes mais dinâmicos que nos permitirão seguir em frente.”


Co-autora: Amanda Rodrigues Leal


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

87.4%
4.8%
7.8%