MENU

08/10/2021 às 12h12min - Atualizada em 08/10/2021 às 12h12min

O júri do legista de New Brunswick diz que o assassinato de Rodney Levi pela polícia em 2020 foi um homicídio

Havia dúvidas se a morte seria um homicídio ou suicídio

Redação North News
CTV News
The Canadian Press

O júri do legista em New Brunswick que examinou o tiroteio fatal de Rodney Levi em 2020, considerou sua morte um homicídio.

 

O homem de 48 anos da Primeira Nação Metepenagiag foi morto a tiros pela RCMP em Sunny Corner, N.B., em 12 de junho de 2020, depois que policiais responderam a uma reclamação sobre um homem com facas em uma casa.

 

O júri de cinco membros emitiu uma longa lista de recomendações nesta sexta-feira (08), incluindo o restabelecimento do programa de polícia da equipe indígena e a localização de centros de desintoxicação nas comunidades das Primeiras Nações.

 

Os jurados estão recomendando que os oficiais da RCMP não sejam os primeiros a responder durante as verificações de bem-estar, mas que fiquem de prontidão.

 

O júri também está pedindo um maior treinamento de intervenção suicida para a RCMP e para a aceleração dos programas em todo o país para equipar os policiais com câmeras corporais.

 

O tiroteio foi investigado pelos investigadores da polícia de Quebec, o Bureau des Enquetes Independantes, e os promotores de New Brunswick determinaram que os policiais no local acreditavam que Levi estava usando força contra eles e tinham justificativa para matá-lo.

 

O legista John Evans disse ao júri na quinta-feira, 07, que eles tinham que decidir se a morte de Levi foi um homicídio, suicídio ou se nenhum dos dois poderia ser determinado.

 

O júri ouviu 27 pessoas durante cinco dias de depoimentos.


Co-autora: Amanda Rodrigues Leal


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

87.2%
5.2%
7.6%