MENU

30/11/2021 às 10h42min - Atualizada em 30/11/2021 às 10h42min

Ontário pode expandir a elegibilidade da dose de reforço, já que o CDC recomenda 3ª dose para pessoas com mais de 18 anos

Estados Unidos, Canadá e Reino Unido buscam formas de manter a omicron longe de suas fronteiras e evitar novas ondas de infectados

Redação North News
City News
Getty

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) ampliaram suas recomendações para as doses de reforço contra o COVID-19 para todos os adultos à medida que a nova variante omicron é identificada em mais países.

 

A agência já havia aprovado reforços para todos os adultos, mas apenas os recomendava para aqueles com 50 anos ou mais ou se eles vivessem em um ambiente de cuidados de longa duração.

 

A diretora do CDC, Dra. Rochelle Walensky, disse que a nova orientação reflete o surgimento da variante omicron, que ainda não foi identificada nos EUA, mas que as autoridades dizem que chegará inevitavelmente ao país.

 

“Todos os maiores de 18 anos devem receber uma dose de reforço seis meses após as duas doses da Pfizer ou Moderna ou dois meses após a dose única da J & J", disse ela em um comunicado.

 

O Reino Unido agiu rapidamente na segunda-feira, 29, anunciando que todos os adultos poderão receber as doses de reforço da vacina contra o COVID-19 três meses após a segunda dose. Os reforços anteriormente só estavam disponíveis um mínimo de seis meses após uma segunda dose para pessoas com mais de 40 anos e para aqueles com mais de 16 anos com problemas de saúde subjacentes.

 

O Diretor Médico de Saúde de Ontário, Dr. Kieran Moore, disse na segunda-feira que o governo está atualmente revisando as medidas e espera-se que atualize a implementação do reforço da província ainda esta semana. Do jeito que as coisas estão, indivíduos com 70 anos ou mais são elegíveis para doses de reforço, assim como qualquer pessoa que tenha recebido duas doses da vacina AstraZeneca.

 

“Estamos revisando os dados, mas quero deixar claro, ainda não temos certeza de quão grave ou que tipo de impacto a nova variante representa em termos de infecção grave”, disse Moore na segunda-feira. “Esperamos uma atualização no final desta semana que fornecerá clareza sobre o lançamento [da vacina].”

 

A Ministra da Saúde, Christine Elliott, falou no Queen’s Park, dizendo que uma nova orientação da dose de reforço seria emitida nos próximos dias.

 

“Teremos mais a dizer sobre isso no final da semana, porque queremos ter essa camada extra de proteção.”

 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) diz que o risco global da variante omicron do coronavírus é “muito alto” com base em evidências iniciais, alertando para a possibilidade de surtos futuros com “consequências graves”.

 

O Canadá confirmou um quinto caso de infecção pela variante omicron. As autoridades anunciaram no domingo que havia dois casos de omicron entre duas pessoas que haviam visitado recentemente a Nigéria. Os dois estão se isolando em Ottawa.

 

A província de Ontário também está investigando quatro casos de COVID-19 para ver se eles são omicron. Centenas de pessoas que viajaram recentemente para países africanos considerados de alto risco para a variante estão sendo contatadas para testes.


Co-autora: Amanda Rodrigues Leal


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

87.2%
5.9%
6.9%