MENU

24/01/2022 às 09h46min - Atualizada em 24/01/2022 às 09h46min

OTAN envia navios e caças para o leste, Irlanda rejeita exercícios da Rússia

A Grã-Bretanha também anunciou na segunda-feira que está retirando alguns diplomatas e dependentes de sua embaixada em Kiev. O Ministério das Relações Exteriores disse que a medida foi "em resposta à crescente ameaça da Rússia"

Co - autora: Isabela Peixer
CTV News

A Otan disse na segunda-feira que está colocando forças extras de prontidão e enviando mais navios e caças para a Europa Oriental, enquanto a Irlanda alertou que novos jogos de guerra russos em sua costa não são bem-vindos, devido às tensões sobre se o presidente Vladimir Putin pretende atacar a Ucrânia.

A organização militar liderada pelos EUA disse que está reforçando sua presença de "dissuasão" na área do Mar Báltico. A Dinamarca está enviando uma fragata e enviando aviões de guerra F-16 para a Lituânia; A Espanha também enviará navios de guerra e poderá enviar caças para a Bulgária; e a França está pronta para enviar tropas para a Romênia.

O secretário-geral Jens Stoltenberg disse que a Otan "tomará todas as medidas necessárias para proteger e defender todos os aliados". Ele disse: "Sempre responderemos a qualquer deterioração de nosso ambiente de segurança, inclusive por meio do fortalecimento de nossa defesa coletiva".

O anúncio foi feito enquanto os ministros das Relações Exteriores da União Europeia buscavam dar uma nova demonstração de determinação em apoio à Ucrânia e disfarçar as preocupações sobre as divisões sobre a melhor maneira de enfrentar qualquer agressão russa.

"Estamos mostrando uma unidade sem precedentes sobre a situação na Ucrânia, com forte coordenação com os EUA", disse o chefe de política externa da UE, Josep Borrell, que está presidindo a reunião, a repórteres em Bruxelas.

Questionado se a UE seguiria um movimento dos EUA e ordenaria que as famílias dos funcionários da embaixada europeia na Ucrânia saíssem, Borrell disse: "Não vamos fazer a mesma coisa". Ele disse que está ansioso para ouvir o secretário de Estado Antony Blinken sobre essa decisão.

A Grã-Bretanha também anunciou na segunda-feira que está retirando alguns diplomatas e dependentes de sua embaixada em Kiev. O Ministério das Relações Exteriores disse que a medida foi "em resposta à crescente ameaça da Rússia".

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia, Oleg Nikolenko, disse que a decisão dos EUA é "um passo prematuro" e um sinal de "cuidado excessivo". Ele disse que a Rússia está semeando pânico entre ucranianos e estrangeiros para desestabilizar a Ucrânia.

A Alemanha está monitorando os desenvolvimentos, mas a ministra das Relações Exteriores da Alemanha, Annalena Baerbock, enfatizou que "não devemos contribuir para desestabilizar ainda mais a situação; precisamos continuar apoiando o governo ucraniano de forma muito clara e, acima de tudo, manter a estabilidade do país".

Chegando à reunião da UE, o ministro das Relações Exteriores da Irlanda, Simon Coveney, disse que informaria seus colegas que a Rússia planeja realizar jogos de guerra a 240 quilômetros da costa sudoeste da Irlanda - em águas internacionais, mas dentro da zona econômica exclusiva da Irlanda.

"Não é hora de aumentar a atividade militar e a tensão no contexto do que está acontecendo com e na Ucrânia". disse Coveney. "O fato de eles estarem optando por fazer isso nas fronteiras ocidentais, se você preferir, da UE, ao largo da costa irlandesa, é algo que, em nossa opinião, simplesmente não é bem-vindo e não desejado agora, principalmente nas próximas semanas. "

Durante a reunião de segunda-feira, à qual Blinken participará virtualmente, os ministros reafirmarão a condenação da Europa ao acúmulo militar russo perto da Ucrânia, envolvendo cerca de 100 mil soldados, tanques, artilharia e equipamentos pesados, disseram diplomatas e autoridades antes da reunião.

 

Eles renovarão os apelos ao diálogo, principalmente por meio do "formato Normandia", apoiado pela Europa, que ajudou a aliviar as hostilidades em 2015, um ano depois de Putin ordenar a anexação da Península da Crimeia, na Ucrânia. Os combates no leste da Ucrânia mataram cerca de 14.000 pessoas e ainda fervem hoje.

Se Putin atacar a Ucrânia novamente, os ministros alertarão, a Rússia enfrentará "consequências enormes e custos severos". Esses custos seriam de natureza financeira e política. A UE insiste que está pronta para aplicar pesadas sanções à Rússia dentro de dias de qualquer ataque.

No fim de semana, alguns dos países membros mais próximos da Rússia - Estônia, Letônia e Lituânia - confirmaram que planejam enviar mísseis antitanque e antiaéreos fabricados nos EUA para a Ucrânia, uma medida endossada pelos Estados Unidos.

Mas foram levantadas questões sobre o quão unificada é a UE. Diversos interesses políticos, empresariais e energéticos há muito dividem o bloco de 27 países em sua abordagem a Moscou. Cerca de 40% das importações de gás natural da UE provêm da Rússia, grande parte através de gasodutos através da Ucrânia.

Os preços do gás dispararam, e o chefe da Agência Internacional de Energia disse que a gigante russa de energia Gazprom já estava reduzindo suas exportações para a UE no final de 2021, apesar dos altos preços. Putin diz que a Gazprom está respeitando suas obrigações contratuais, não pressionando a Europa.

As duas grandes potências da UE parecem mais cautelosas. O gasoduto Nord Stream 2, da Alemanha, da Rússia, que está completo, mas ainda sem gás, tornou-se uma moeda de troca. O presidente francês, Emmanuel Macron, renovou os pedidos anteriormente rejeitados de uma cúpula da UE com Putin.

No final do ano passado, a França e a Alemanha inicialmente expressaram dúvidas sobre as avaliações de inteligência dos EUA que Moscou poderia estar se preparando para invadir.

Na noite de sábado, o chefe da marinha alemã, vice-almirante Kay-Achim Schoenbach, renunciou após ser criticado por dizer que a Ucrânia não recuperaria a península da Crimeia e por sugerir que Putin merece "respeito".

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, planeja se reunir com Putin na próxima semana para discutir um projeto apoiado pela Rússia para expandir uma usina nuclear húngara.

Ainda assim, diplomatas e autoridades disseram que sanções contundentes estão sendo elaboradas com o poder executivo da UE, a Comissão Europeia. Mas eles estavam relutantes em dizer quais seriam as medidas ou que ação da Rússia poderia desencadeá-las.

O objetivo, disseram eles, é tentar combinar as dúvidas que Putin semeou sobre suas intenções para a Ucrânia com a incerteza sobre como qualquer ação retaliatória europeia pode parecer, ou quando ela acontecerá.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

86.7%
7.1%
6.2%