MENU

19/04/2022 às 09h42min - Atualizada em 19/04/2022 às 09h42min

Neve paralisa Montreal na primavera

Tempestade de neve caiu sobre a cidade na madrugada desta terça-feira

Leandro Mendonça
Fonte: Twitter
Na manhã desta terça-feira (19), o cidadão de Montreal e arredores acordou com uma surpresa. Uma tempestade de neve estava caindo sobre a cidade, causando acidentes em pistas e atrasos, impossibilitando diversos cidadãos de trabalharem e de ir à escolas. Mas não foi só a tempestade de neve que causou problemas.

Quem vive em Montreal conhece a rotina da cidade. A obrigatoriedade dos pneus de inverno se dá até a primeira semana de abril, quando teoricamente, a primavera se estabiliza. Com isso, os carros voltam a usar os ditos "pneus de verão" (que pesam menos e se desgastam menos no asfalto quente). Mas a nevasca desta terça-feira impediu os carros que trocaram os pneus de sairem às ruas. Quem o fez correu um sério risco, pois nas estradas que ligam cidades próximas, muitos acidentes foram vistos.

Quem havia guardado os utensílios de neve precisou reconsiderar. A metereologia havia previsto 30 centímetros de neve para este dia 19, mas a força do vento aumentou muito e deixou bairros inteiros com neve até os joelhos. 

Cidadãos que optaram pelo serviço público de transporte (metrô e ônibus), também não tiveram vida fácil. Diversas estações do transporte subterrâneo estavam lotadas e os ônibus, parados nas ruas, causaram atrasos para quem está acostumado a se locomover no famoso 'busão'. A cidade que conta com um serviço altamente pontual, se tornou um caos total durante esta manhã.

E as "más notícias" não param por aí. A neve deve cair até o meio da tarde, quando as temperaturas voltarão a números positivos e começarão derreter os montes de flocos, deixando calçadas escorregadias. Ou seja, você que saiu sem bota de neve deve ficar muito atento, pois no final da tarde, muitas ruas podem estar repletas de gelo, causando acidentes.


 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

86.7%
7.1%
6.2%