MENU

27/04/2022 às 17h07min - Atualizada em 27/04/2022 às 17h07min

Moderna escolhe Quebec a Ontário

Farmacêutica escolheu a província francófona para construir seu centro de excelência

Leandro Mendonça
Reprodução/Valor Econômico



A gigante farmacêutica Moderna fez sua escolha. Montreal sediará a planta da fábrica de produção de vacinas baseada em RNA que a empresa de biotecnologia planeja abrir no Canadá.
 
Montreal supera assim a região de Toronto, que também estava na corrida para obter as “centenas de milhões de dólares” em investimentos que a empresa pretende fazer no país nos próximos anos.
 
Esta notícia, esperada há vários meses pela indústria farmacêutica, será confirmada na sexta-feira na metrópole pelo primeiro-ministro Justin Trudeau, seu colega da província de Quebec François Legault e o CEO da Moderna, Stéphane Bancel.
 
Neste anúncio também estarão presentes ministros influentes das duas capitais, em particular o ministro federal da Inovação, Ciência e Indústria, François-Philippe Champagne, e o ministro da Economia do governo Legault, Pierre Fitzgibbon.
 
"A Moderna escolheu Montreal", disse uma fonte familiarizada com o assunto, que pediu anonimato porque não estava autorizada a falar publicamente sobre o anúncio de sexta-feira. 
 
Este anúncio é o fim de vários meses de discussões entre o Sr. Champagne e o CEO da Moderna. O Sr. Champagne é considerado por alguns como o “braço direito” de Trudeau por causa de seus notáveis esforços para energizar a economia canadense por meio de investimentos estratégicos em setores-chave, como biomanufatura, eletrificação de transporte e setor de baterias para veículos livres de emissões. O ministro também é responsável pela luta ao acesso à Internet de alta velocidade em todas as regiões do país.
 
Lembre-se de que a Moderna é um dos dois principais fabricantes de vacinas de RNA mensageiro contra o COVID-19 no mundo – o outro é a Pfizer/BioNTech. As vacinas produzidas por essas duas empresas têm sido usadas por muitos países para vacinar suas populações, incluindo Canadá e Estados Unidos.
 
Desde o início, Montreal teve uma vantagem sobre outras cidades canadenses ao sediar as novas instalações da Moderna. A importância do setor farmacêutico na metrópole de Quebec obviamente trabalhou a seu favor.
 
O CEO da Moderna anunciou em agosto passado, em Montreal, a intenção da farmacêutica de se estabelecer no Canadá. Mas Stéphane Bancel havia indicado que queria avaliar as vantagens e desvantagens oferecidas pelas cidades em disputa, antes de tomar sua decisão.
 
Esperava-se uma decisão antes do final de 2021, mas a Moderna foi forçada a adiar tudo devido à virulência de uma nova onda de COVID-19 que atingiu o continente, dominada pela variante Omicron.

Além da vacina COVID-19, a Moderna já possui 24 vacinas e terapêuticas em desenvolvimento, incluindo vacinas para influenza, RSV, citomegalovírus, Zika e HIV, além de produzir tratamentos para câncer e doenças cardíacas.

A escolha de Montreal provoca um anúncio que coloca “pimenta”, no ponto de vista político. Sete meses após a eleição federal, Justin Trudeau e François Legault se reunirão pela primeira vez. Durante a campanha, em uma intervenção raramente vista por parte de um primeiro-ministro de Quebec, Legault expressou sua propensão a um governo conservador minoritário. Ele pediu aos quebequenses que fossem "cautelosos" com Justin Trudeau, cujo programa é "centralizador".
 
Em entrevista ao La Presse em agosto, por ocasião do anúncio da Moderna, o ministro François-Philippe Champagne disse que sua intenção era garantir que o Canadá nunca mais dependesse da produção de vacinas em fábricas no exterior em caso de outra pandemia.
“Não escolhemos o momento da pandemia. É óbvio que também não vamos escolher o momento da próxima. Mas há uma coisa que podemos escolher: estar melhor preparados e mais resilientes. E é exatamente isso que estamos fazendo”, disse ele.
 
“Todos os países do G7 gostariam de ver essas empresas instaladas em seu país. A Moderna está bem estabelecida nos Estados Unidos, mas esta será a primeira vez que a empresa concorda em montar um centro de excelência em vacinas de RNA em outro país. Quando falamos de vacinas de RNA, esse é o futuro. Sim, existe a vacina COVID-19. Mas ela também faz pesquisas para tratar câncer e outras doenças. Ter isso aqui, no ecossistema de produção local, é definitivamente um grande ganho para o Canadá”, completou Champagne.
 
O governo federal investiu no ano passado US$ 126 milhões na construção do novo laboratório do Conselho Nacional de Pesquisa do Canadá em Montreal, onde a empresa Novavax fabrica sua vacina contra o COVID-19. Esta vacina à base de proteína foi autorizada pela Health Canada em fevereiro e agora é usada em Quebec. A Novavax produz cerca de dois milhões de doses por mês de sua vacina nas instalações de Montreal.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

86.7%
7.1%
6.2%