MENU

02/07/2021 às 14h58min - Atualizada em 02/07/2021 às 14h58min

Centenas das pessoas que morreram por exposição ao calor em B.C. eram em sua maioria idosos encontrados sozinhos em seus quartos sem ventilação

Pelo menos 486 mortes súbitas e inesperadas foram relatadas desde sexta-feira passada. Número que deve crescer nos próximos dias.

Vancouver Sun
https://vancouversun.com/news/local-news/hundreds-who-died-from-heat-exposure-in-b-c-were-mostly-seniors-found-alone-in-unventilated-suites-says-coroner
Uma vista de Vancouver após o tempo escaldante ter acionado uma Assessoria de Qualidade do Ar em Vancouver, British Columbia, Canadá, em 28 de junho de 2021. FOTO: JENNIFER GAUTHIER / REUTERS

A profundidade chocante da onda de calor sem precedentes em British Columbia (B.C.) foi revelada na quarta-feira, quando a legista-chefe da província, Lisa Lapointe, relatou que centenas de pessoas morreram repentinamente nos últimos cinco dias - e as que sucumbiram ao calor eram, em sua maioria, idosos encontrados sozinhos em suas casas.

 

Lisa Lapointe disse que durante um período normal de cinco dias em B.C. os serviços de emergência seriam chamados para 165 mortes súbitas.

 

“Os últimos cinco dias na Colúmbia Britânica viram um número sem precedentes de mortes relatadas”, disse ela.

 

“Entre sexta-feira passada e 13h00 hoje, pelo menos 486 mortes súbitas e inesperadas foram relatadas à nossa agência. Este número é preliminar e aumentará conforme os legistas inserem relatórios de óbito em nosso sistema. As 486 mortes registradas atualmente representam um aumento de 195% em relação às aproximadamente 165 mortes que normalmente ocorreriam na província em um período de cinco dias. ”

 

A diferença entre os dois números é 321, e LaPointe reconheceu que a maioria das mortes em excesso foram relacionadas ao calor.

 

“Muitos dos que morreram eram idosos que viviam sozinhos”, disse ela, acrescentando que foram encontrados em “casas muito quentes e sem ventilação”.

 

“Devido ao número muito maior do que o normal de mortes relatadas em algumas áreas, houve casos em que atrasos ocorreram nas respostas dos legistas às cenas de mortes relatadas. Realocamos recursos e continuamos a fazer tudo ao nosso alcance para minimizar os tempos de espera ”, disse LaPointe.

 

Isso significa que a escala dos desastres recorrentes do calor extremo tendem a crescer.

 

O relatório de LaPointe veio apenas trinta minutos depois que o ministro da Segurança Pública, Mike Farnworth, subiu ao pódio para defender a forma como seu governo lidou com a onda de calor - que ganhou as manchetes internacionais quando Lytton quebrou o recorde canadense de calor três dias consecutivos - e um dia depois de o primeiro-ministro John Horgan dizer que havia um “nível de responsabilidade pessoal” no desenrolar da tragédia.

 

Mike Morris, crítico liberal do MLA e da Segurança Pública, descreveu o comentário de Horgan como "bastante insensível".

 

“Quando você tem centenas de pessoas vivendo em condições nas quais não têm controle, não têm ar-condicionado e coisas assim, acho seu comentário bastante insensível”, disse Morris.

 

“Tínhamos vários dias de aviso prévio para nos prepararmos para isso e o governo deveria estar preparado com uma resposta para casos como este.”

 

Morris disse que o serviço público em B.C. cresceu de 290.000 para 500.000 trabalhadores desde que o NDP assumiu o poder em 2017 e, embora reconhecendo que era um argumento simplista, ele se perguntou se mais poderia ter sido feito com esses recursos adicionais.

 

“Onde estão todas essas pessoas? Você não vê mais assistentes sociais na rua, você não vê mais policiais na rua. Certamente eles poderiam encontrar pessoas nas fileiras do serviço público para ajudar os idosos e garantir que eles tenham o necessário para passar por uma onda de calor como esta. ”

 

Farnworth disse que o governo, por meio do Gerenciamento de Emergências de B.C., ofereceu apoio aos municípios e às Primeiras Nações de várias maneiras durante a onda de calor.

 

Isso incluiu o reembolso aos municípios pelo custo de abertura de centros de resfriamento, transporte de pessoas para centros de resfriamento e apoio a voluntários na distribuição de água.

 

Ele disse que o governo estava reescrevendo a Lei do Programa de Emergência para lidar com as ondas de calor da mesma forma que o governo gerencia inundações e incêndios.

 

“Nunca vimos um evento de calor como testemunhamos no último fim de semana”, disse Farnworth

 

LaPointe disse que houve apenas três mortes relacionadas ao calor nos últimos anos, antes do desastre atual.



 

Coautoria: Viktória Matos


 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

87.2%
5.2%
7.6%