MENU

17/04/2022 às 13h07min - Atualizada em 17/04/2022 às 13h07min

Em chamas!

Extremistas queimam cópias do Alcorão, na Suécia

Leandro Mendonça
AFP

Malmö, na Suécia, vira vítima de violência na noite de sábado para domingo, após comícios de extrema-direita que queimou um Alcorão, anunciou domingo a polícia.
 
"Houve incêndios em vários locais durante a noite em Malmö", disse a polícia em um comunicado.
 
Em particular, latas de lixo, um ônibus e um carro foram queimados. Quase 20 queixas, em particular por vandalismo, foram registradas. 
Algumas pessoas ficaram levemente feridas, acrescentou a polícia. 
 
Os incidentes eclodiram após uma manifestação no sábado do movimento anti-imigração e anti-islamismo "Hardline", liderado pelo dinamarquês-sueco Rasmus Paludan.
Sua reunião havia sido transferida de Landskrona para um estacionamento em Malmö, para evitar aglomerações, mas um carro tentou romper as barreiras de proteção. O motorista foi preso.
 
Protestos eclodiram em diferentes partes de Malmö, com pedras e coquetéis molotov jogados contra a polícia.
 
"Acalmou-se por volta das 3h, houve alguns incêndios, mas a violência diminuiu", disse a porta-voz da polícia Kim Hild à rádio pública SR, acrescentando que nenhum membro das forças de segurança ficou ferido.
 
"Às vezes, a ansiedade social é contagiosa", disse a chefe de polícia de Malmö, Petra Stenkula, aos repórteres que estavam no local, dizendo que os eventos dos dias anteriores podem ter servido como um "gatilho".
 
Rasmus Paludan está atualmente organizando uma turnê na Suécia que gerou vários confrontos da polícia contra manifestantes em várias cidades da Suécia, nos últimos dias.
 
Na quinta e sexta-feira, cerca de 12 policiais ficaram feridos nos confrontos.
 

Após esses eventos, diplomatas iraquianos anunciaram em um comunicado oficial que haviam convocado o encarregado de negócios sueco no domingo.
 
Eles acreditam que deixar os partidários da extrema-direita demonstrarem que querem queimar uma cópia do Alcorão é um ato "provocativo para os sentimentos dos muçulmanos e ofensivo para o que é sagrado para eles".
E alertam para as “graves repercussões” deste caso nas “relações entre a Suécia e os muçulmanos em geral, seja nos países muçulmanos ou árabes, ou nas comunidades muçulmanas da Europa”.
 
Paludan indicou seu desejo de se manifestar novamente em duas cidades na Suécia, mas seus comícios não foram liberados pela polícia. O radical promete convocar mais extremistas para se manifestar em cidades suecas.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você vai se imunizar contra o novo coronavírus (Covid-19)?

86.7%
7.1%
6.2%