MENU

08/07/2022 às 18h43min - Atualizada em 08/07/2022 às 18h38min

A META POPULACIONAL DO CANADÁ EM 2100

Prof. Paulo Galvão Jr.

Prof. Paulo Galvão Jr.

Economista brasileiro, escritor, palestrante, professor de Economia no UNIESP e autor de 15 eBooks de Economia.

www.remessaonline.com.br
O presente artigo tem como tema a meta populacional do Canadá em 2100. Nessa perspectiva demográfica a longíssimo prazo, é possível entender que a principal meta do Canadá é alcançar 100 milhões de habitantes no final do século XXI. Todavia, é preciso enfatizar que a inflação alta é uma preocupação global e afeta também a população canadense na atualidade.

Devido a sua geografia, o Canadá é o segundo maior país do mundo em extensão territorial, com 9.984.670 quilômetros quadrados, atrás apenas da Rússia. Nos dias atuais, o Canadá tem uma população total de 38 milhões de habitantes, logo, uma densidade demográfica de apenas 3,8 habitantes por quilômetros quadrados, a segunda menor do planeta, atrás apenas da Austrália. Portanto, faltam 62 milhões de habitantes para cumprir a meta populacional, além de 78 anos, logo, em média, aproximadamente de 1,283 milhão de habitantes a cada ano até 2100.

A bela e histórica Montreal é a maior cidade da província de Quebec e a segunda maior cidade do Canadá, com seus atuais 1,7 milhão de habitantes. Já Ottawa, na província de Ontário, tem uma população metropolitana de 1,3 milhão de habitantes e é a capital do Canadá. Portanto, é necessária uma capital canadense a cada ano até o final do século XXI para alcançar a meta populacional.

Por que o Canadá continuará atraindo os imigrantes de cinco continentes? Primeiro, a baixa população para um país continental. Segundo, o alto número de aposentados. Terceiro, a baixa taxa de fecundidade total. Quarto, a falta de mão de obra qualificada. E por fim, a hospitalidade canadense com os imigrantes.

Por que o Canadá quer quase triplicar sua população em 2100? O Canadá tem apenas 38 milhões de habitantes e pretende alcançar 100 milhões de pessoas no último ano do século XXI, logo, necessitará de mão de obra qualificada para produzir bens e serviços. E a meta é atrair 450 mil imigrantes já em 2024, segundo o Century Initiative (em português, Iniciativa do Século).

“Uma das principais características da população do Canadá é a multiculturalidade. Nesse sentido, a população canadense é composta em sua maioria por descendentes europeus, britânicos e franceses” (MELO, 2021). E posteriormente, o autor Marcelo Melo (2021) enfatiza que, “(...) a população do Canadá é formada por 49,6% do sexo masculino e 50,4% do sexo feminino”.

Mais de um em cada cinco adultos estão próximos da aposentadoria e são 10.000 canadenses com mais de 100 anos de idade. De acordo com a advogada Aline Winter (2020), “Já a idade mínima para aposentadoria é de 60 anos com benefício reduzido e, a partir dos 65 anos, o valor aumenta e, aos 70 anos passa a ser integral. Com 70 anos, você não contribui mais para o Canada Pension Plan (CPP), mesmo se ainda estiver trabalhando”.

A taxa de fecundidade total é de 1,5 filho por mulher e “a taxa de natalidade está em 10,3 nascimentos por 1000 habitantes” (MELO, 2021). Uma observação bastante relevante é que “Sempre que a taxa de fecundidade média de um país cair abaixo de aproximadamente 2,1 filhos por mulher, as populações vão acabar encolhendo” (BBC NEWS, 2018). E a esperança de vida ao nascer do Canadá é de 82,3 anos (OCDE, 2022).

A hospitalidade canadense é mundialmente conhecida pelos turistas e imigrantes. Conforme Tatiana Pinheiro (2019): “O Canadá é um país multicultural e acostumado a receber pessoas de todos os cantos do mundo. Pelas ruas do país, é normal encontrar pessoas de diversas etnias convivendo tranquilamente, em especial asiáticos. As cidades são modernas, arborizadas e seguras, enquanto que as relações pessoais costumam ser muito educadas e cordiais”.

A moeda oficial é o dólar canadense e os custos mensais para uma família de imigrantes de quatro pessoas na cidade de Montreal são de CAD$ 2.605 por mês. O custo mais alto será o aluguel de CAD$ 1.300. Em segundo lugar, o supermercado de CAD$ 720. Em terceiro lugar, o transporte basicamente de metrô e ônibus, no valor de CAD$ 255. Em quarto lugar, o celular com internet de CAD$ 150. Em quinto lugar, com CAD$ 105 os custos de energia elétrica (a mais barata do país). Por fim, em sexto lugar, a internet da residência no valor de CAD$ 75. Convertendo CAD$ 2.605 para reais é equivalente a R$ 10.151,26 mensais.

Em Montreal o transporte público é eficiente e muito seguro e a assinatura para alugar uma bicicleta elétrica é de CAD$ 19 por mês com uso obrigatório de capacete de proteção ao ciclista. A creche é subsidiada pelo governo da província de Quebec. E Montreal é a maior cidade francófona do Canadá, a segunda mais populosa da língua francesa, atrás apenas de Paris, e é uma cidade portuária e extremamente cultural, sendo possível participar de festivais de música, de dança, de teatro e de artes plásticas, além de frequentar excelentes museus, bibliotecas e galerias de arte.
 
O Canadá oferece uma excelente qualidade de vida aos seus habitantes e é a nona maior potência econômica do mundo. Segundo a Transparency International (TI), o Canadá tem Corruption Perceptions Index (CPI) de 74 pontos em 2021, sendo o 13º lugar no ranking mundial dos 20 países menos corruptos, e muito bem colocada entre 180 países analisados e em primeiro lugar entre 35 países das Américas, assim, revelando que o CPI do Canadá tem quase o dobro do CPI do Brasil, com 38 pontos (TI, 2021). E o Canadá é o quinto país do mundo que mais recebeu Investimento Estrangeiro Direto (IED) em 2021, de acordo com a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD).

Montreal foi fundada em 1642, é uma ilha localizada no Rio São Lourenço, é a cidade mais europeia da América do Norte e é uma grande metrópole de Quebec, com 105 bairros, repleta de restaurantes, bares, mercados, lojas, cafés, hotéis e shopping centers. No inverno, sua temperatura média varia de máximas de -4ºC com mínimas de -12ºC, já no verão as temperaturas não ultrapassam dos 26ºC.

Montreal, assim como outras cidades das dez províncias do Canadá, é de fato um bom local para morar, uma cidade que oferece qualidade de vida e tranquilidade, além de todos os benefícios de morar numa das 10 maiores economias do mundo e numa das 20 nações com melhores IDHs do planeta. Acontece assim também em Vancouver, na província de Colúmbia Britânica (em inglês, British Columbia, BC), sendo uma cidade que possui grande diversidade linguística e étnica, com mais de 50% da população falando uma língua diferente da nativa.

Vancouver conta com um clima ameno e é uma boa opção para quem prefere as temperaturas mais altas, mas não tão quentes como Toronto, Ottawa e Winnipeg. Já o custo de vida para uma família com 4 pessoas é maior do que em Montreal, podendo chegar a CAD$ 4.308,10 por mês.

Existem várias oportunidades de realizar um intercâmbio em Vancouver, assim como fazer um curso de inglês em uma escola de intercambistas, onde durante quatro meses podemos vivenciar o que é ser um cidadão canadense e usufruir dos benefícios que essa grande metrópole pode oferecer aos seus visitantes. Pode ser Vancouver, em BC, a primeira experiência de administrar seus recursos escassos, assumir responsabilidades e cuidar de si própria a 10.473 km da sua zona de conforto, o doce lar (em inglês, the sweet home).

O curioso de ir estudar em uma grande cidade de um país desenvolvido, é ver como pequenas coisas, que são essenciais e, infelizmente, no Brasil, ainda não acontecem, no Canadá funcionam muito bem e fazem a diferença. Como exemplos, podemos citar o transporte público de qualidade, a saúde muito organizada (exemplo, o Medicare), preços justos e a liberdade de poder andar na rua sem o medo eminente de um assalto a qualquer hora.

É possível conviver com um clima agradável, onde as temperaturas, no verão, variavam de 12ºC a 19ºC e poucos dias de chuvas. Já no inverno, os dias de chuva passam a ser intensos e recorrentes. Nos dias com temperaturas amenas, os intercambistas, assim como os nativos, aproveitam o clima para os passeios em lindos parques, montanhas e praias. Através desses passeios em grupo que podemos vivenciar as maiores experiências para aprendizado da língua inglesa e conhecer novas culturas ao dialogar com as pessoas de todo o mundo que frequentam a província canadense.

A diversidade étnica e cultural é visível nas cidades do Canadá, a família canadense que poderá lhe hospedar durante os 4 meses, pode ser de origem das Filipinas ou da Índia e na casa há possibilidade de conviver com outras estudantes, da Alemanha, do Japão, da Turquia ou do México.
 
Conclui-se que a meta do Canadá, de alcançar cem milhões de habitantes até 2100, poderá ser possível com o forte incentivo à imigração, visto a baixa taxa de fecundidade das mulheres canadenses. A meta populacional levaria muito mais que os 78 anos que restam até o ano de 2100, ou, ainda, seria necessário aumentar consideravelmente o número de filhos por mulher.

Enfim, levando em consideração a hospitalidade por parte dos nativos e a alta taxa de imigrantes que já residem no bilíngue Canadá (inglês e francês), esse não será um problema para o desafio dos canadenses, sendo a forma mais viável de conseguir a meta populacional até o seu prazo final. Logo, a prosperidade econômica requer planejamento para as atuais e futuras gerações.
 
Nota: Artigo elaborado em parceria com a estimada aluna Rosangela Marie Borges Silva, do Curso de Gestão Financeira, no UNIESP, que realizou um intercâmbio no Canadá em 2017 e atual gerente do grupo empresarial das empresas ATIVA CARIMBOS e GRÁFICA A CRIATIVA. E-mail: [email protected]
Link
Leia Também »
Comentários »